Feliz Ano Novo!


Daqui a poucas horas estaremos encerrando mais um capitulo das nossas vidas. 2013 passa a ser história e leva boas lembrança que ficaram no canto especial dos nossos corações. Leva também erros e enganos. Com os erros aprendemos e com enganos acertamos os passos. Assim viramos a página do nosso passado e abrimos um caderno novinho para escrever mais um capitulo da nossa nova história.
Aproveito para agradecer todo o carinho que tenho recebido.Aos amigos daqui e do exterior, que tratam a mim e meu trabalho com muito carinho> MUITO OBRIGADO.
QUE 2014 SEJA LEVE, LÚDICO E LIVRE. 



FELIZ NATAL!

Nosso Natal não tem lareira, mas é caloroso.
Nosso Natal não tem boneco de neve, mas é lúdico.
Nosso Natal não tem neve, mas tem um lindo céu de verão.
Seja com for a celebração do Natal em qualquer parte do mundo, que nunca falte:

Alegria
Amizade
Abraço
Amor.

Feliz Natal, muito obrigado a todos por tudo.
MariaCininha

Minha Vida de Papel

Minha vida de papel: Participação no Evento Plural Dois organizado por Lunna Guedes. Obrigada Lunna Guedes e a todos que estiveram Na Biblioteca Alceu de Amoroso Lima, em 07/12/2013 — com Lunna Guedes.

Cenários: Cenário de natal 3


ADVENTO DE NATAL







Chegamos a dezembro, a porta do ano, como costumo dizer. É dezembro que leva o ano que vivemos do nosso presente para a nossa história. E para fecharmos devagarinho a nossa porta, e daqui a pouco só abri-lá nas nossas lembranças, que as Marias estarão em um advento. Um rito de passagem até o natal chegar, para deixar esta espera mais lúdica, leve e divertida, deixando um pouco a correria desta época mais amena. MUITO BOM BIA!

We arrived to December, the door of the year, as I say. It's December which takes the year we live our present to our story. And slowly we close our door, and will soon open there only in our memories, that will be in an advent Marias. A rite of passage until Christmas arrives, expect to leave this more playful, light and fun, leaving a little to run this more mellow. Good morning!

Salve Fernando Pessoa


"Tenho amigos para saber quem eu sou,
pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos,
nunca me esquecerei de que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril." Fernando Pessoa

Maria Abelha

Os cientistas já confirmaram que as abelhas estão em extinção. O que  deveria ser uma grande preocupação, porém não ocupa as primeiras páginas dos jornais.
Esta Maria sabe que a abelha é responsável por parte dos nossos alimentos . A abelha poliniza as plantações de melões, amêndoas entre outras plantações no mundo, e no Brasil as plantações de maças lá Sul. Mais de  8% da produção agrícola  depende da polinização das abelhas.
Maria Abelha lamenta  está perda irreparável para o mundo, por dois motivos: pela extinção das próprias abelhas  e pela extinção das pessoas delicadas e solidárias. Pois segundo um poeta as pessoas delicadas e solidárias são educadas pela “cartilha das abelhas”. 

Saudades

Para todos aqueles que partiram e que continuam eternos em nossos corações e vivos nas nossas histórias.
Bom fim de semana a todos.

Bruxa Maria


Ela não mora em um castelo abandonado, cheio de teias de aranhas e criação de morcegos. Ela mora em um pequeno apartamento de uma grande cidade. É uma bruxa contemporânea. Usa bicicleta em vez de vassoura, se veste com roupas coloridas em vez de preto, usa o Google em vez de bola de cristal, usa um piercing em vez de verruga no nariz e em vez de um gato tem um cachorro negro.

De resto, é uma bruxa como as outras. Transforma príncipe em sapo, carruagem em abóbora. Como toda bruxa, adora alquimia, mas não aquelas velhas receitas fumegantes de misturar rabo de lagartixa com olho de dragão.  A Bruxa Maria gosta mesmo é de misturar cores. Dizem que no dia em que a magia está à flor da pele ela consegue modificar até as cores do arco-íris.  

Tem uma prateleira na janela em vez de cortina. Esta prateleira é cheia de garrafas coloridas, que refletem vários raios de luzes multicores.  Ela não conta para ninguém, mas copiou a ideia das garrafas coloridas da casa de um grande poeta. Pois, em noites de lua cheia, em segredo visita artistas e poetas, porque, segundo ela, estes seres são mágicos, embora usem disfarces.

Mas no dia do Halloween, a Bruxa Maria abre seu antigo baú de bruxa. Coloca asas de morcego, liberta aranhas, coloca no céu uma Lua nova, no bolso uma floresta escura e a velha máscara de coruja da sua bisavó. Segue a tradição de seus ancestrais e sai para se divertir. Afinal, bruxa é sempre bruxa, mesmo que de vez em quando se confunda com uma fada. Maria Cininha

Um dia atrasado

Um dia atrasado, mas não esquecido. Viva o livro este construtor de vidas. Viva o livro onde se revelam tantos mundos, tantas vidas, tantos caminhos, tantas fantasias! Salve o livro nossa melhor companhia.

A bandeira da delicadeza

Depois de uma semana meio difícil, esta Maria resolveu levantar a bandeira da delicadeza.
 Sejamos urgentemente delicados!
Delicados como o pouso do passarinho. Como São Francisco de Assis. Como o brilho de uma distante estrela. Como Ganghi. Como uma pena solta no ar.Como algumas árias de Mozart.Como as pinceladas de Claudet Monet. Como as pinturas de Vermeer. Como um adágio ou como o jeito delicado de ser dos gatinhos. MUITO BOM DIA.

Em tempo de bruxas

"Diz um conto de Malba Tahan que Deus quando criou a mulher criou também a fantasia. E por fantasia me refiro – esta poderosa senhora – a imaginação, aos devaneios, e aos sonhos que dão muitas vezes forma ao nosso futuro, reformam nosso passado, ilustram poderosos sentimentos e nos fazem tão criativos que um dia podemos voar entre estrelas com uma varinha de condão, no outro dar vôos rasantes em uma vassoura mágica. Aberta a temporada de caça as bruxas." (Maria Cininha)