Menina que eu fui



A menina que eu fui


Para escrever sobre a menina que eu fui, eu desejei ter escrito uma carta para mim mesma quando tinha 10 anos para ser aberta neste momento. E lá nas suas páginas amareladas estaria escrito que eu fui uma menina que acreditava que tinha sempre uma linha geométrica organizando o seu caminho. Tinha medo de escuro e procurava a sombra dos passarinhos nas árvores na noite de lua cheia. Era convencida de que teria asas grandes quando fosse adulta. Acreditava que as flores tinham o poder de curar coração ferido, e que elas, as flores, cantavam baixinho durante a noite. Acreditava nos sonhos e que os sonhos tinham luz que não vinham nem da lua, nem das estrelas, nem do sol, mas da magia interna de quem sonha. Acreditava que ninguém é feliz se não tiver um jardim, porque é lá que se aprende o que é beleza. Que um anjo morava em uma garrafa azul que tinha na prateleira da cozinha. Que a noite procurava estrelas caídas do céu nos cantos do jardim e as luas refletidas nas poças d'água do chão. Que eu gostava de piqueniques, de guarda-chuvas subir em árvores, pular amarelinha e de bala de goma. Gostava de brincar com papel, seguir caminho de formiga e acompanhar os voos dos passarinhos. Uma vez, levantei de madrugada para pegar na cristaleira o relógio de bolso de meu pai só para passar o dia inteiro com ele: foi o dia mais longo da minha vida. Acreditava nas coisas que não existem e descobriu que as certezas tendem a desfalecer. Não sabia tabuada de cor, senti frio na barriga, tinha uma fada e uma bruxa que eram donas da minha imaginação e me apaixonei à primeira vista.


Mas não escrevi uma carta para mim mesma quando tinha 10 anos...

este post é parte integrante do projeto Caderno de Notas, Segunda Edição do qual participam as autoras Ana Claudia marques, Ingrid Caldas, Luciana Nepomuceno, Lunna Guedes, Maria Cininha, Tatiana Kielberman, Thelma Ramalho e, a convidada Mariana Gouveia.





22 comentários:

Vivi Silva disse...

Adorei esse exercício e acho que vou copiar! Quanto a pequena Maria Cininha,é fácil de imaginar pela Maria Cininha de agora. Só podia ser assim! Bjos carinhosos.

Vivi Silva disse...

Adorei esse exercício e acho que vou copiar! Quanto a pequena Maria Cininha,é fácil de imaginar pela Maria Cininha de agora. Só podia ser assim! Bjos carinhosos.

Rosana Liali ( Cicicì) disse...

Cara Mary! Dicono che non bisogna avere nostalgia del passato. Sai quando uno è piccolo e ha un amico invisibile ? Ho trovao la mia amica invisibile dopo tanti anni. Ho sempre nostagia di lei, sopratutto quando lo vista di persona . Sono andata a Barcellona e mentre camminavo , pensavo a lei, Bello poter fare qualcosa insieme qui a Barcellona, scrivere, disegnare, ritagliare, ecc. Buona giornata Mary! Rosana

Lunna Guedes disse...

Delicioso acompanhar esse olhar entre tempos, traçando essa linha reta entre a menina de ontem e a mulher de hoje, mas ao mesmo tempo é um tanto assustador porue eu já vou direto para o pensamento "o que pensaria ela da mulher de hoje?" Decerto ficaria espantada com tudo que foi feito e onde chegou e exibiria aquele sorriso de quarteirões. rs

bacio

Ps. Eu disse que você iria voar e, consequentemente nos fazer voar.

Ingrid disse...

que lindo querida!
a leveza da infância ..
beijos.

KINHA disse...

Olá Cininha

Foi e continua sendo linda!!!
Ótima 5º para vc.

Breve surpresinhas lá no blog…

AMIGA DA MODA by Kinha

Poetando com Carlinhos do Bento disse...

Simplesmente me encanto com mentes sonhadoras, fantasiosas, que viajam pelos Universos imaginários...como eternas crianças. Mentes que buscam realidades paralelas na realidade rotineira...para não se sufocarem.
ADOREI O TEXTO ! Beijinhos.

mariana gouveia disse...

Foi como se a carta fosse endereçada a mim mesma. Fui no jardim e vi que a beleza está lá presente e que a trilha das formigas está igualzinha. É como se tivesse voltado no tempo. Lindeza de menina! Lindeza de texto!

jeito simples disse...

Quantos anos voce agora mesmo? 12 ? Beijos minha Fada Menina <3
Norma

jeito simples disse...

Quantos anos voce agora mesmo? 12 ? Beijos minha Fada Menina <3

Mariacininha disse...

Obrigada Vivi Silva por suas palavras. Beijos

Mariacininha disse...

Obrigada Lunna Guedes é você que me coloca nestas aventuras. Juro que eu perco o sono,mas você sabe que eu sou uma guerreira. Obrigada a você mais uma vez.

Mariacininha disse...

Obrigada Ingrid e Kinha, muitas queridas amigas>

Mariacininha disse...

Juro minha querida amiga Norma que minha idade mental é está mesmo 12 anos com direito a ser sonhadora, acreditar na gentileza e na magia, mas juro que eu gostaria de ter 10 anos a menos da minha idade cronológica, para tantos planos e desejos e sonhos que tenho na minha cabeça e no meu coração. SAUDADES.

Mariacininha disse...

Mariana Gouveia que bom que provoquei sua volta ao quintal! Muito obrigada.
Beijos

Mariacininha disse...

Mariana Gouveia que bom que provoquei sua volta ao quintal! Muito obrigada.
Beijos

Mariacininha disse...

Carlos Alberto já deixei um recado no FB pra você dizendo de como fiquei envaidecida com seus comentário. Muito Obrigada!

2edoissao5 disse...

esse encantamento que é o pensamento que voa...

2edoissao5 disse...

esse encantamento que é o pensamento que voa...

2edoissao5 disse...

esse encantamento que é o pensamento que voa...

Tatiana Kielberman disse...

Linda e suave esta menina que vive em você e nunca se apagou, querida...

É como se eu pudesse enxergá-la à minha frente, o tempo todo!

Beijos, parabéns!!

Mariacininha disse...

Obrigada Tatiana foi o comentário mais bonito que já recebi. Obrigada