Poesia de Fernando Coelho


Maria me empresta as asas de nuvem. Percebe que as minhas pesam, calcinadas de ferro e saudade em postas. Maria é dona de um criatório de vento. Me pergunta se pode me assoprar para dentro dela. Oh! Maria amada! É tudo o que preciso... Fernando Coelho

Nenhum comentário: