Um grande amor!



Um dia, talvez,se transforme em uma história de amor, mas hoje eles só partilham inquietações filosóficas e poéticas... Mas, não será isso já uma das maiores formas de amor?
Muito Bom Noite!

O que escrevo no meu diário?



O que escrevo em meu diário? 
Nem sempre as narrativas dos diários são feitas somente com palavras. As narrativas podem ser gráficas, ou gráficas acompanhadas de texto e às vezes só de recortes colados. É comum esse tipo de diário entre os artistas. Afinal os homens são feitos tanto de palavras como de imagens.
Quando o homem pré-histórico mergulhou sua mão na lama vermelha e pressionou-a na parede da caverna, contou ali uma história. Naquela mão estampada na parede talvez tivesse; o seu deus, a sua caça, a sua curiosidade, a sua incerteza, o seu medo, ou a simples vontade de deixar sua marca.

Da mesma forma são os desenhos dos diários, narram sem palavras uma história, uma intenção. As imagens são impregnadas de histórias e narrativa.  Alberto Manguel, em seu livro Imagens, diz que “a imagem é também um palco, um lugar de representação, e confere a imagem um teor dramático, como que capaz de prolongar sua existência por meio de uma história”. Uma história ou várias histórias. Quando observamos uma imagem desenhada seja lá em que suporte for, ela possui sua voz própria, distinta das palavras.Essa voz vai se  entrelaçar com o repertorio e a história pessoal, abrindo espaço no imaginário. Essa história criada, por um observador, através de experiências sensíveis, afetivas, o artista jamais conhecerá.  
Talvez esteja aí toda a magia de um diário com imagens.



PROJETO "diário das 4 Estações"  das autoras: Adriana Aneli, Mariana Gouveia, Maria Cininha e Lunna Guedes 


Sim, eu também escrevo diários








Nem sei se esta afirmativa é correta. Considero uma maneira de conservar comigo mesmo.
Tenho vários cadernos, coloridos, com post it, colagens, frase recortadas de revistas, muito desenho em recorte e colagem e alguns só de desenhos, além de um digital com 1220 páginas..
São de todos os tamanhos e cores. Estão sempre a minha volta, não me vejo sem um caderno ao lado.
Raramente volto ao que escrevo, porque o ato de escrever já é esclarecedor. Ao escrever eu consigo detectar relações muitas vezes surpreendente e ver conexões novas entre as ideias e liberto a minha imaginação. Por outro lado se escrevo esporadicamente fica difícil manter o foco, fico confusa e
distraída.


Rotinas diárias, vida pessoal, sentimentos, rituais criativos e o estado de foco intenso no ato criativo, é através da escrita que eu exploro esses caminhos. Vamos dizer que é o portal de entrada... Tais momentos de conversa comigo mesmo, pode haver momentos de emoção forte, um sentimento de alegria ou mesmo de tristeza.  O ato de escrever traz reposição até mesmo para lidar com fatos dolorosos, confusos e equivocados. Há momentos únicos e caminhos abertos e principalmente conversando comigo mesmo,cometo o delito de ser livre.

 PROJETO "diário das 4 Estações"  das autoras: Adriana Aneli, Mariana Gouveia, Maria Cininha e Lunna Guedes 



 estações do ano...
August 2, 2016



...