Contos de Fada



Os contos de fadas são assim.
Uma manhã a gente acorda
E diz: “Era só um conto de fada...”
E a gente sorri de si mesma.
Mas, no fundo não estamos sorrindo.
Sabemos muito bem que os contos de fadas
São a única verdade da vida.”
Antoine de Saint-Exupéry

As sombras



Ontem, almocei em um restaurante que é um grande terraço. Alto e todo aberto. Apesar do sol estava frio, então, as cortinas estavam abaixadas. Não pude deixar de me encantar com as sombras das plantas, nas jardineiras, e os insetos voando... tirei um monte de fotos. Fiquei um bom tempo observando aquelas sombras, um deleite! Hoje, somos tão entorpecidos pelo excesso de luzes, que nos tornamos cegos para a beleza das sombras. Afinal, esquecemos que a qualidade, que chamamos de beleza, cresce a partir das realidades da vida, e as sombras fazem parte delas. Muito Bom Dia!

Com licença de Henri Matisse.


    "Gostaria que as pessoas soubessem que não devemos nos aproximar da cor a nosso bel-prazer, e que é preciso um sério preparo para sermos dignos dela. Mas antes de tudo é preciso possuir o dom da cor, como um cantor precisa possuir voz" Henri Matisse.
    Com licença de Henry Matisse... " Grande interior vermelho" de 1948 -

Cada Maria tem seu dia...


Experimente perguntar...


Experimente perguntar a qualquer mãe, de qualquer idade, biológica ou não, como foi o dia do nascimento do filho. Você vai ouvir a mais bela história vivida. Com todos os detalhes minuto a minuto. Uma história, onde os cinco sentidos estão presente com toda força, alternando entre a dor e o amor. Ela só não vai conseguir descrever como é o peso, o volume, a sensação de pegar o filho pela primeira vez nos braços e trazê-lo para perto do coração. Isso não dá para descrever, mas fica gravado para sempre no corpo e na memória de uma mãe e não tem tradução...
Feliz Dia, a todas as mães...

Salve 01 de maio

Salve o nosso trabalho
"Se alguém quisesse esmagar e destruir um homem inteiramente, para infligir-lhe a punição mais terrível, tudo o que teria que fazer seria fazê-lo fazer um trabalho completamente e totalmente desprovido de utilidade e significado". Fiodor Dostoiévski

Azul...


Azul 

é a cor dos poetas, dos sentimentos e, da lata do creme Nívea.
É a cor da grandeza, das ideias, da distância e da saudade.
Do divino, do reino de Júpiter e da Virgem Maria.

Azul é a cor do manto real, dos uniformes dos operários e das fardas dos soldados. É a cor do lago das ninfeias de Monet, das madonas e do céu estrelado de Van Gogh.

Azul é a cor do infinito... do profundo, da Terra e dos oceanos.
Do fim de semana, do Jeans e do Happy hour.
É a cor dos miosótis, da safira e do anil.

Azul é a cor da Blue Moon, do celeste e de Vermeer.
Do céu, da fidelidade... é a cor de sagitário - de menino,
de Ives-Klein e da Rhapsody in blue.
E na profundidade, todas as cores se dissolvem no azul. MC



Hibísco


Com licença do Sr. Picasso


Vermelho


Vermelho

.. é a cor da paixão, da dor e do ódio. Do proibido, do coração, do sangue e da guerra. É a cor do erotismo, do amor e do cravo. Da liturgia, dos cardeais, da Scralett O’Hara e do Boi Garantido de Parintins.

Vermelho é a cor da argila, do vinho e da açucena. Da joaninha, dos corais e do Natal. É a cor do ambiente de Henry Matisse, de Alexander Calder e da igreja católica. É a cor de Carmem, de Carmina Burana e da vida.

É a cor do cádmio, da China, do caranguejo e dos vestidos de Valentino. Do morango, da maça e do tomate. Da pimenta, do rubi e signo de Escorpião.

É a cor da agressividade, da coragem e do reino de Marte, do inferno e da Ferrari. Se vermelho é a cor do deus Eros é também é a cor Philia , em diferentes tonalidades.
É a cor do “tapete Vermelho” e da Rita Lee. E... Vermelho é simplesmente a cor das cores.

Maria Perguntadeira 1


E essa criatividade acesa, de onde vem? 
Da necessidade de um fator de unidade
De ter um centro de força interior
Curar
Consolar

Transformar
Sensibilizar,
e do seguir em frente...

Ponto, linha reta e curva



Com licença de Vassily Kandinsky

Maria, acha impossível olhar para uma obra de Kandinsky sem ter vontade de dançar, ou de acompanhar com movimento do corpo seu emaranhado de linhas e pontos. Ponto, reta, curva e o colorido conduzem quase que pela mão.
O ponto, como sabemos é o início de tudo, a origem. É impositivo e ponto final!
A reta, ah, essa sujeita é muito autoritária. Mas, nem de longe pod...emos negar que é muito decidida, determinada e gosta de dividir o lado de cá e o lado de lá. Responsável pela esquerda e direita, rsrsrs
A curva, ninguém segura! Quando pensamos que ela está aqui ela está ali, assanhada, elástica, brincalhona, mas esperta. Contorna obstáculo, sai vitoriosa e está sempre sorrindo!
O colorido, como dizia o próprio pintor, é o meio de fazer vibrar a alma.
Não há, como não se perder por uma obra de Kandinsk, entre leituras, movimentos do corpo, musicalidade e curiosidade. 
Se perca em uma obra de Kandinsky, Maria já se perdeu. Olha ela lá!

Com licença de Friedensreich Hundertwasser - 1928 -2000


Maria enrola um colar de tintas. Numa infinita linha de uma araucária que variou. Pegou vermelho de um rosto da Ilha de Páscoa. Assobiou um amarelo, como a chamar um passarinho, de Tarsila. Do vapor azul de Van Gogh clareou o fecho da tarde na enfieira. Di Cavalcanti não escapou. O ocre apareceu nos elos, entre um tom de mar de Carlos Bastos e um rabisco, saltitante, de roxo, assoprado por Carybé. Maria cria tintas novas. Ela quer pintar o amor, se cravejar de aquarela. Maria, meu amor. Fernando Coelho

Muito Boa Tarde!




Maria, hoje tem uma missão muito especial, fazer dupla em uma obra com uma jovem artista. A artista, não é famosa, não é uma artista comum. Nem escolhe se vai pintar paisagem ou figurativo e não conhece as cores.Também não pinta com pinceis, crayon ou lápis colorido. Pinta com seus dedinhos. Lala é o nome dela, é filha da minha amiga Sonia Barbosa e nasceu com os olhinhos fechados. E pintar para ela é sua forma de expressão... 
Maria, hoje pede licença a Lala, para entrar no seu mundo...