Pular para o conteúdo principal

Páginas da história

 
Em tempo de casamento real, me lembrei desta colagem. É sobre  o casamento de Charles o príncipe de Gales e de Camilla  Parker, em 09 de Abril de 2005. Meio a rejeição este amor resistiu ao tempo, e a outras circustancia que todos nos conhecemos. Não foi um casamento de sonhos como nos contos de fadas, mas foi uma história de resistência de um amor  que durou e resistiu como o amor de Florentino Ariza por Firmina Daza personagens de "Amor no tempo de cólera" de Garcia Marques.

Uma colagem bem simples, nasce a partir de noticias de jornais. Com poucos, simples e toscos desenhos, recorte da data do acontecimento e algumas poucas palavras, esta simples página vira um livro de história, a disposição de quem quiser contar.

Comentários

✿ chica disse…
E fica o registro...Linda idéia tiveste. beijos,tudo de bom,chica e estás preparando o atual?
jeito simples disse…
" Por ser exato, o amor não cabe em si; por ser encantado o amor revela-se; por ser amor invade e fim"
rossichka disse…
What a whymsical collage! Very sweet! I like the use of words from newspapers.
Clara disse…
Oi moça,

que saudade que eu tava daqui e do seu talento. =)

Adorei a colagem. *-*

Beijosss
O ilustre disse…
É bem verdade... Muito interessante esta sua postagem. BJ
mary disse…
Adorei! Como é bom ter registros do passado para relembrar!
Parabéns pelo blog! Nota 10!
Seu blog é realmente inspirador e encanatador.

Postagens mais visitadas deste blog

Contém Maria

Estava indo tudo bem, até eu descobrir que as Marias ficariam encantadoras em caderninhos tipo Moleskine. Ganharam complementos, que extrapolam o tamanho do caderninho. Mas, esta é a intenção, ficar no espaço, ganhar asas e também deixar entrar o que chegar... Mas, e agora como guardar sem estragar, sem amassar? Simples, ganhou uma caixa. E assim, de simples em simples eu complico. Rsrsrs
Muito boa tarde!

7 de janeiro dia do Leitor

Hoje é dia do leitor. E, nós independente dos livros somos leitores da vida, das relações humanas, da natureza. Recentemente desenvolvemos outra forma de leitura, a virtual. Quando ocorre a empatia, a aproximação, mesmo de longe aprendemos a ler o outro, a sentir... Descobrimos importâncias e desimportâncias. Descobrimos afetos, amor, amizade, admiração ou nos descobrimos tendo apenas a função de um acessório. Descobrimos, artimanhas, manobras, inveja, a maldade e a vaidade a toda prova. Em compensação descobrimos pares, e amizades que se materializam no real.Temos uma vida dois, igual a real, na tela do computador, e por isso dia a dia temos que desenvolver mais uma forma de leitura.
Amo esse texto do Mia Couto que fala sobre o leitor. No dia do leitor... Não Sabemos Ler o Mundo
Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sina…

Muito Bom DIa