Pular para o conteúdo principal

Obrigado Lu Guedes

Tarde de sábado, no coração da paulicéia. Sem pressa… Sem as ilusões tão cotidianas da cidade que pulsa insanidades atemporais. Um cenário inusitado. Um cantinho numa rua da Lapa: uma vila romana. Um nome romano. “ Rua Camilo”. Silêncio lembrando versos de um poema. O próprio lugar parece uma poesia recém escrita. Flores  na Varanda. É aquele título que a gente procura quando escreve no meio da tarde, após uma chuva mansa, com nuvens que lembram pinceladas…

O convite. Inevitável. Salta por cima da pele. Encontrar as “Marias”… Papel, tesoura, cola e muita sensibilidade… Um pouco de poesia. Versos no papel. Inverso. Avesso. Verdades. Ilusões. Tudo tão singelo. Tudo tão misterioso. Só olhando de perto para compreender a sensação das cores. São tantas…

A tarde pede que a chuva também aceita o convite. Ela o faz. Molha os caminhos. O telhado. Sopra ilusões temporárias. Sopra desejos renovados. Os diálogos são muitos. Os assuntos diversos. A tarde se perde. Chega a noite. Com tudo dentro. Paredes “pintadas”. Mesas repletas de “movimentos”. O som vai para o palco. Os instrumentos também. Dois. Três. Tudo é gesto. Tudo é som. Olhos curiosos percorrem a paisagem. 

A artista se consagra na satisfação que a abraça.
E por fim, mesmo não desejando, é hora de ir embora. Deixando para trás uma só certeza. Valeu a pena dizer “sim” ao convite para encontrar Marias. Eu as encontrei em mim, em outras, nas paredes, nas mesas, pelo chão, desde a entrada, até a saída. E claro, trouxe um pouco de tudo isso comigo…


 Este texto foi publicado pela querida Lu Guedes, no seu belo blog.
 Nossa amizade, minha e da Lu começo pela internet, hoje ela á uma amiga querida, e para      começar o dia  sempre leio seus posts, eles me dão inspiração e coragem para enfrentar o dia. Quem quiser ver o post na integra ou conhecer o seu belo blog e se apaixonar pelos seus textos:

Comentários

Ilaine disse…
Prabéns, Mariacininha.
O texto da Lu é formidável.
Vou lá no blog dela para conhecê-la melhor.

E você é encantadora!
Beijo
✿ chica disse…
Lindo texto da Lu e são lindas as amizades! beijos,chica
Amiga: maravilhoso texto e maravilhosa experiência...beijos invejosos de uma tb maria.
jeito simples disse…
Lindo o texto da lú.
A gente vai lendo e visualizando tudo...adorei. Vou lá visitá-la.
:)
Menina no Sotão disse…
Olha que agora eu só passei por aqui para dizer que é muito bom perceber que certas palavras alcançar certos horizontes... hehehehe
Estou feliz...

Ps. Agora só falta marcar o nosso chá. Hummmm...

Postagens mais visitadas deste blog

7 de janeiro dia do Leitor

Hoje é dia do leitor. E, nós independente dos livros somos leitores da vida, das relações humanas, da natureza. Recentemente desenvolvemos outra forma de leitura, a virtual. Quando ocorre a empatia, a aproximação, mesmo de longe aprendemos a ler o outro, a sentir... Descobrimos importâncias e desimportâncias. Descobrimos afetos, amor, amizade, admiração ou nos descobrimos tendo apenas a função de um acessório. Descobrimos, artimanhas, manobras, inveja, a maldade e a vaidade a toda prova. Em compensação descobrimos pares, e amizades que se materializam no real.Temos uma vida dois, igual a real, na tela do computador, e por isso dia a dia temos que desenvolver mais uma forma de leitura.
Amo esse texto do Mia Couto que fala sobre o leitor. No dia do leitor... Não Sabemos Ler o Mundo
Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sina…

Contém Maria

Estava indo tudo bem, até eu descobrir que as Marias ficariam encantadoras em caderninhos tipo Moleskine. Ganharam complementos, que extrapolam o tamanho do caderninho. Mas, esta é a intenção, ficar no espaço, ganhar asas e também deixar entrar o que chegar... Mas, e agora como guardar sem estragar, sem amassar? Simples, ganhou uma caixa. E assim, de simples em simples eu complico. Rsrsrs
Muito boa tarde!

Muito Bom DIa