Pular para o conteúdo principal

Com licença de Pablo Neruda


Adoro o “Livro das Perguntas” de Pablo Neruda. É um livro que está sempre a minha mão. É uma fonte de inspiração e encantamento com suas perguntas sem respostas.
 Ou seriam perguntas com muitas respostas, ou para não serem respondidas?
 Ou talvez perguntas para provocar a imaginação?
Ou quem sabe para trazer a poesia ao cotidiano das indagações?
Mas isso não tem a mínima importância...  Assim são os artistas: provocadores, imprecisos.
 Pablo Neruda pergunta:

“De que ri a melancia quando a estão assassinando?”

“Não crês que os dromedários guardam luas em suas gibas?”

“E o mar não está emprestado à terra por curto prazo?”
“Não teremos que devolvê-lo com suas marés à lua?”

Pablo Neruda morreu no dia 11 de setembro 1973. Com toda a evolução tecnológica que o mundo enfrentou de lá para cá, se hoje ele estivesse entre nós, teria uma infinidade de outras perguntas para enriquecer nosso imaginário. Como não está!
Com licença de Pablo Neruda:

“Se hoje as informações estão armazenadas nas nuvens, para onde se mudaram os anjos?”

Comentários

Tina Bau Couto disse…
Com o perdão de Pablo Neruda não creio que os dromedários guardam luas em suas gibas e sim melancias.
E a melancia não ri a forma é de barco para segurar as lágrimas.
E os anjos hão de conviver e dividir espaço com as informações bem como fazemos nós por aqui, entre tantas perguntas e respostas, nos espremendo entre milhões delas.
Qd chove deve haver uma lavagem por lá, vá saber! e nós aqui fazemos o que?
Mariacininha disse…
Puxa você fez uma nova poesia Tina Neruda!
Betty Gaeta disse…
OI Cininha,
Amei esta anja! Vc me deixou curiosa a respeito deste livro. Tenho os Sonetos de Amor de Neruda, mas não sabia deste livro de perguntas!!! Preciso dele!
xoxo

Gosto disto!

Postagens mais visitadas deste blog

Contém Maria

Estava indo tudo bem, até eu descobrir que as Marias ficariam encantadoras em caderninhos tipo Moleskine. Ganharam complementos, que extrapolam o tamanho do caderninho. Mas, esta é a intenção, ficar no espaço, ganhar asas e também deixar entrar o que chegar... Mas, e agora como guardar sem estragar, sem amassar? Simples, ganhou uma caixa. E assim, de simples em simples eu complico. Rsrsrs
Muito boa tarde!

7 de janeiro dia do Leitor

Hoje é dia do leitor. E, nós independente dos livros somos leitores da vida, das relações humanas, da natureza. Recentemente desenvolvemos outra forma de leitura, a virtual. Quando ocorre a empatia, a aproximação, mesmo de longe aprendemos a ler o outro, a sentir... Descobrimos importâncias e desimportâncias. Descobrimos afetos, amor, amizade, admiração ou nos descobrimos tendo apenas a função de um acessório. Descobrimos, artimanhas, manobras, inveja, a maldade e a vaidade a toda prova. Em compensação descobrimos pares, e amizades que se materializam no real.Temos uma vida dois, igual a real, na tela do computador, e por isso dia a dia temos que desenvolver mais uma forma de leitura.
Amo esse texto do Mia Couto que fala sobre o leitor. No dia do leitor... Não Sabemos Ler o Mundo
Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sina…

Muito Bom DIa