Pular para o conteúdo principal

Com licença de Pablo Picasso

Colagem baseada na litografia de  de Pablo Picasso. "Mulher na Poltrona" 1948. Quarto estado negro.

Picasso, quando fez 80 anos, declarou a um jornalista "[...] Bem, diga-lhes que se não existissem espelhos eu não saberia a minha idade, e que levei oitenta anos para ficar jovem"  Quando advertido de que já tinha dito isto no sei septuagésimo aniversário, respondeu: "Bem, então diga-lhes que ainda acredito nisso!"

Trecho: " A criatividade envelhece? Coisas que nos fazem pensar se tudo tem hora de acabar" Mariacininha

Comentários

Muito Linda esta colagem!
bjs
Cimara
Betty Gaeta disse…
Oi Cininha,
Se vc não dissesse que é colagem, acreditaria ser litogravura!
Minha monografia foi sobre a Guernica de Picasso. Sou apaixonada pelos trabalhos dele.
Tenha uma ótima semana!
xoxo

Gosto disto!
Myrian disse…
Picasso foi um jovem octogenário.
Todos nós devemos seguir esse belo exemplo de amor à vida.
Beijos.
Lu Guedes disse…
Interessante observar os detalhes e pensar no homem por trás de sua arte.
Mas não acho que a criatividade envelhece. Acho que ela se renova. transforma. Se desfaz... rs Se bem que eu acho que depende do individuo.
Veremos o que diremos dentro de dez anos. rs

bacio
Cores de Anas disse…
Maria Cininha,
Com suas belíssimas criações, você é uma grande ARTISTA!A criatividade jamais envelhece, ela nos permite estar em vigor, no ápice da nossa eterna juventude.
Bjinhos
Maria Teresa
Mari Rehermann disse…
Adorei a colagem...

Beijinhos!!♥

Postagens mais visitadas deste blog

Contém Maria

Estava indo tudo bem, até eu descobrir que as Marias ficariam encantadoras em caderninhos tipo Moleskine. Ganharam complementos, que extrapolam o tamanho do caderninho. Mas, esta é a intenção, ficar no espaço, ganhar asas e também deixar entrar o que chegar... Mas, e agora como guardar sem estragar, sem amassar? Simples, ganhou uma caixa. E assim, de simples em simples eu complico. Rsrsrs
Muito boa tarde!

7 de janeiro dia do Leitor

Hoje é dia do leitor. E, nós independente dos livros somos leitores da vida, das relações humanas, da natureza. Recentemente desenvolvemos outra forma de leitura, a virtual. Quando ocorre a empatia, a aproximação, mesmo de longe aprendemos a ler o outro, a sentir... Descobrimos importâncias e desimportâncias. Descobrimos afetos, amor, amizade, admiração ou nos descobrimos tendo apenas a função de um acessório. Descobrimos, artimanhas, manobras, inveja, a maldade e a vaidade a toda prova. Em compensação descobrimos pares, e amizades que se materializam no real.Temos uma vida dois, igual a real, na tela do computador, e por isso dia a dia temos que desenvolver mais uma forma de leitura.
Amo esse texto do Mia Couto que fala sobre o leitor. No dia do leitor... Não Sabemos Ler o Mundo
Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sina…

Muito Bom DIa