Pular para o conteúdo principal

Desde que o mundo é mundo




Não vejo qualquer razão para estar limitado ao tempo cronológico. Tanto quanto sabemos, o universo não fica ao tempo vinculado. Tanto como sabemos, é mais uma construção nossa, este culto do relógio e a ideia que existe um passado, um presente e um futuro organizado desta maneira  de forma obediente e que nunca troca de lugar. Porém em nossa própria vida  sabemos que não é bem assim, porque nós os seres humanos são capazes de se mover com a imaginação, para frente e para trás e de sair do próprio corpo. Sim isso todos nós podemos fazer através da imaginação, e convenhamos pode ser uma realidade mais interessante do que  a realidade bastante monótona do relógio. Pela imaginação, nos tornamos criadores de realidades que incluem todas as possibilidades. Na imaginação  a recompensa está no próprio ato que é prazeroso e lúdico, e não na vantagem utilitária que se pode obter dele. É um puro sonhar poético que brinca com a realidade, que dá outras versões para ela e a enriquece.



Post integrante do Projeto Caderno de Notas - Quarta Edição.
Do qual fazem parte as autoras 
Aurea Cristina Szczpanski, Cláudia Costa, Fernanda Farturetto,Lunna Guedes, Maria Cininha, Mariana Gouveia e Tatiana Kielberman

Comentários

Lunna Guedes disse…
Gosto quando o tempo é apenas um fragmento, desconexo e flutuante. Gosto quando fecho os olhos e vou e volto pelos lugares que são meus e não são. rs

Adorei
bacio
Gislene disse…
Lindas palavras e pura verdade ... A ditadura do relógio tira a magia da vida ...

Postagens mais visitadas deste blog

7 de janeiro dia do Leitor

Hoje é dia do leitor. E, nós independente dos livros somos leitores da vida, das relações humanas, da natureza. Recentemente desenvolvemos outra forma de leitura, a virtual. Quando ocorre a empatia, a aproximação, mesmo de longe aprendemos a ler o outro, a sentir... Descobrimos importâncias e desimportâncias. Descobrimos afetos, amor, amizade, admiração ou nos descobrimos tendo apenas a função de um acessório. Descobrimos, artimanhas, manobras, inveja, a maldade e a vaidade a toda prova. Em compensação descobrimos pares, e amizades que se materializam no real.Temos uma vida dois, igual a real, na tela do computador, e por isso dia a dia temos que desenvolver mais uma forma de leitura.
Amo esse texto do Mia Couto que fala sobre o leitor. No dia do leitor... Não Sabemos Ler o Mundo
Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sina…

Contém Maria

Estava indo tudo bem, até eu descobrir que as Marias ficariam encantadoras em caderninhos tipo Moleskine. Ganharam complementos, que extrapolam o tamanho do caderninho. Mas, esta é a intenção, ficar no espaço, ganhar asas e também deixar entrar o que chegar... Mas, e agora como guardar sem estragar, sem amassar? Simples, ganhou uma caixa. E assim, de simples em simples eu complico. Rsrsrs
Muito boa tarde!

Muito Bom DIa