Pular para o conteúdo principal

Simples




Algumas vezes achei a vida bem complicada, acredito que ainda é. Mas eu me tornei simples. Não quero pensamentos intrincados, nem amor complicado.

Nem achar nada difícil, a realidade me parece simples.

Dificuldade, problemas sempre existem, mas parecem agora não ser mais o fim do mundo. O que mudou?  Mudou a disposição de conviver com a complicação.

É muito melhor pensar simples e ter ideias simples.  Não quero mais brigar pelo miolo do pão, pelo lugar na fila, pela toalha molhada no sofá.  

Não me importa mais a cortina... mas a lua na janela.

Não me importa almofada... mas ler um livro deitada no chão.

Não me importa  mais a marca da caneta tinteiro... quero escrever com esferográfica.

 Não me interessa a briga... mas o convite pra tomar um sorvete.

Não interessa que o sol não apareceu... mas comprar um vaso de flor amarela.


Ser simples leva tempo, mas quando  se chega  lá percebe-se que sobra mais tempo  pra viver.



*Este post é parte integrante do projeto Caderno de Notas – Quarta Edição, do qual participam as autoras Aurea Cristina, Claudia CostaFernanda FarturettoLunna GuedesMaria CininhaMariana Gouveia e Tatiana Kielbeman

Comentários

Gislene disse…
Acho que ser simples é o que nos faz felizes ! A vida por si só já é complicada , então , sejamos simples para sofrer menos ... Bj , gostei do texto !

Postagens mais visitadas deste blog

Contém Maria

Estava indo tudo bem, até eu descobrir que as Marias ficariam encantadoras em caderninhos tipo Moleskine. Ganharam complementos, que extrapolam o tamanho do caderninho. Mas, esta é a intenção, ficar no espaço, ganhar asas e também deixar entrar o que chegar... Mas, e agora como guardar sem estragar, sem amassar? Simples, ganhou uma caixa. E assim, de simples em simples eu complico. Rsrsrs
Muito boa tarde!

7 de janeiro dia do Leitor

Hoje é dia do leitor. E, nós independente dos livros somos leitores da vida, das relações humanas, da natureza. Recentemente desenvolvemos outra forma de leitura, a virtual. Quando ocorre a empatia, a aproximação, mesmo de longe aprendemos a ler o outro, a sentir... Descobrimos importâncias e desimportâncias. Descobrimos afetos, amor, amizade, admiração ou nos descobrimos tendo apenas a função de um acessório. Descobrimos, artimanhas, manobras, inveja, a maldade e a vaidade a toda prova. Em compensação descobrimos pares, e amizades que se materializam no real.Temos uma vida dois, igual a real, na tela do computador, e por isso dia a dia temos que desenvolver mais uma forma de leitura.
Amo esse texto do Mia Couto que fala sobre o leitor. No dia do leitor... Não Sabemos Ler o Mundo
Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sina…

Muito Bom DIa