Pular para o conteúdo principal

Testando um novo equipamento fotografico



Escondido em uma caixa, Maria guarda um vestido de noiva e uma esperança de encontrar alguém que sonhou. 
Alguém que:


Enxergue o reflexo da lua nas poças d’água.
Respeite sua fé infinita.
Que ame cachorro e admire os gatinhos.
Não a julgue louca quando ela estancar no meio da calçada para acompanhar o voo de uma
borboleta.
Entenda que pétala de flor caída no chão não é lixo.
Goste de dormir debaixo da janela para ver o sol nascer.
Cante no chuveiro, mas nunca se esqueça de que a água é um líquido precioso.
Ajude a arrastar e mudar os móveis de lugar, só para ganhar um ambiente novo.
Enxergue milagres no cotidiano.
Goste de ouvir histórias, pois ela tem muitas para contar.
Goste da casca do pão porque ela gosta do miolo.
Goste de brincar e que faça uma balança no quintal.
Saiba sempre onde está a chave do carro e das portas da casa.
Aprecie mais as rugas dos que as tatuagens.
Compreenda e  a console quando ela chorar pela derrubada de uma árvore.
Sorria quando ela assoprar todos os “dentes de leão” que encontrar pela rua.
Respeite o seu direito de ter segredos.
Ame o canto dos passarinhos.
Que aplauda quando ela fizer um discurso inflamado de indignação frente a um rio sujo e poluído.
E que, quando passar por uma árvore em flor, lhe renda homenagem com um olhar demorado.
Não sei quando aparecerá este noivo e quanto tempo este vestido ficará na caixa.
Porque  Maria no fundo  não é muito exigente, só diferente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Contém Maria

Estava indo tudo bem, até eu descobrir que as Marias ficariam encantadoras em caderninhos tipo Moleskine. Ganharam complementos, que extrapolam o tamanho do caderninho. Mas, esta é a intenção, ficar no espaço, ganhar asas e também deixar entrar o que chegar... Mas, e agora como guardar sem estragar, sem amassar? Simples, ganhou uma caixa. E assim, de simples em simples eu complico. Rsrsrs
Muito boa tarde!

7 de janeiro dia do Leitor

Hoje é dia do leitor. E, nós independente dos livros somos leitores da vida, das relações humanas, da natureza. Recentemente desenvolvemos outra forma de leitura, a virtual. Quando ocorre a empatia, a aproximação, mesmo de longe aprendemos a ler o outro, a sentir... Descobrimos importâncias e desimportâncias. Descobrimos afetos, amor, amizade, admiração ou nos descobrimos tendo apenas a função de um acessório. Descobrimos, artimanhas, manobras, inveja, a maldade e a vaidade a toda prova. Em compensação descobrimos pares, e amizades que se materializam no real.Temos uma vida dois, igual a real, na tela do computador, e por isso dia a dia temos que desenvolver mais uma forma de leitura.
Amo esse texto do Mia Couto que fala sobre o leitor. No dia do leitor... Não Sabemos Ler o Mundo
Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sina…

Muito Bom DIa