Pular para o conteúdo principal

Histórias no RoMaria




Maria gritou bem alto: Cuidado! Mas não ouviram e os dois acabaram se trombando na esquina mais famosa da cidade de São Paulo: Av. Ipiranga com Av. São João. Um camelo e um camelô carregados de mercadorias...
Depois de juntar tudo que estava espalhado pelo chão, Maria os acompanhou para tomar um chá gelado. E lá ela ouviu, regada a muitas aventuras, a história do camelo Olemac e do camelô Melô. Um vinha da Arábia Saudita e outro do estado de Pernambuco, e ambos buscavam uma vida melhor. Como chegaram a São Paulo? Hum... Está tudo nas páginas do livro.
Enfim, ambos ficaram amigos, moraram e fizeram negócios juntos, mas a terra natal sempre nos chama de volta e Olemac sentiu saudades da sua, mas não queria deixar o amigo e fez o convite: “ Vamos para a terra das mil e uma noites?”
Para Maria, restou ficar abanando um lenço branco molhado de lágrimas de saudade, lá no cais do porto de Santos...
-Maria Cininha-

Quer saber todos os detalhes dessa história?


#RoMariadelivros


Livro: Olemac e Melô - O encontro de um camelo e um camelô.
Autor: Fernando Vilela
Ilustrador: Fernando Vilela
Editora: Companhia das Letrinhas
Ano - 2007

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Contém Maria

Estava indo tudo bem, até eu descobrir que as Marias ficariam encantadoras em caderninhos tipo Moleskine. Ganharam complementos, que extrapolam o tamanho do caderninho. Mas, esta é a intenção, ficar no espaço, ganhar asas e também deixar entrar o que chegar... Mas, e agora como guardar sem estragar, sem amassar? Simples, ganhou uma caixa. E assim, de simples em simples eu complico. Rsrsrs
Muito boa tarde!

7 de janeiro dia do Leitor

Hoje é dia do leitor. E, nós independente dos livros somos leitores da vida, das relações humanas, da natureza. Recentemente desenvolvemos outra forma de leitura, a virtual. Quando ocorre a empatia, a aproximação, mesmo de longe aprendemos a ler o outro, a sentir... Descobrimos importâncias e desimportâncias. Descobrimos afetos, amor, amizade, admiração ou nos descobrimos tendo apenas a função de um acessório. Descobrimos, artimanhas, manobras, inveja, a maldade e a vaidade a toda prova. Em compensação descobrimos pares, e amizades que se materializam no real.Temos uma vida dois, igual a real, na tela do computador, e por isso dia a dia temos que desenvolver mais uma forma de leitura.
Amo esse texto do Mia Couto que fala sobre o leitor. No dia do leitor... Não Sabemos Ler o Mundo
Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sina…

Muito Bom DIa