Pular para o conteúdo principal

Sim, eu também escrevo diários








Nem sei se esta afirmativa é correta. Considero uma maneira de conservar comigo mesmo.
Tenho vários cadernos, coloridos, com post it, colagens, frase recortadas de revistas, muito desenho em recorte e colagem e alguns só de desenhos, além de um digital com 1220 páginas..
São de todos os tamanhos e cores. Estão sempre a minha volta, não me vejo sem um caderno ao lado.
Raramente volto ao que escrevo, porque o ato de escrever já é esclarecedor. Ao escrever eu consigo detectar relações muitas vezes surpreendente e ver conexões novas entre as ideias e liberto a minha imaginação. Por outro lado se escrevo esporadicamente fica difícil manter o foco, fico confusa e
distraída.


Rotinas diárias, vida pessoal, sentimentos, rituais criativos e o estado de foco intenso no ato criativo, é através da escrita que eu exploro esses caminhos. Vamos dizer que é o portal de entrada... Tais momentos de conversa comigo mesmo, pode haver momentos de emoção forte, um sentimento de alegria ou mesmo de tristeza.  O ato de escrever traz reposição até mesmo para lidar com fatos dolorosos, confusos e equivocados. Há momentos únicos e caminhos abertos e principalmente conversando comigo mesmo,cometo o delito de ser livre.

 PROJETO "diário das 4 Estações"  das autoras: Adriana Aneli, Mariana Gouveia, Maria Cininha e Lunna Guedes 



 estações do ano...
August 2, 2016



... 

Comentários

adriana lagrasta disse…
A arte encontra sua voz! Lindo texto e imagem, Maria Cininha!

Postagens mais visitadas deste blog

Contém Maria

Estava indo tudo bem, até eu descobrir que as Marias ficariam encantadoras em caderninhos tipo Moleskine. Ganharam complementos, que extrapolam o tamanho do caderninho. Mas, esta é a intenção, ficar no espaço, ganhar asas e também deixar entrar o que chegar... Mas, e agora como guardar sem estragar, sem amassar? Simples, ganhou uma caixa. E assim, de simples em simples eu complico. Rsrsrs
Muito boa tarde!

7 de janeiro dia do Leitor

Hoje é dia do leitor. E, nós independente dos livros somos leitores da vida, das relações humanas, da natureza. Recentemente desenvolvemos outra forma de leitura, a virtual. Quando ocorre a empatia, a aproximação, mesmo de longe aprendemos a ler o outro, a sentir... Descobrimos importâncias e desimportâncias. Descobrimos afetos, amor, amizade, admiração ou nos descobrimos tendo apenas a função de um acessório. Descobrimos, artimanhas, manobras, inveja, a maldade e a vaidade a toda prova. Em compensação descobrimos pares, e amizades que se materializam no real.Temos uma vida dois, igual a real, na tela do computador, e por isso dia a dia temos que desenvolver mais uma forma de leitura.
Amo esse texto do Mia Couto que fala sobre o leitor. No dia do leitor... Não Sabemos Ler o Mundo
Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sina…

Muito Bom DIa