Pular para o conteúdo principal

Messier 104 - Ninguém deveria morrer sem conhecê-lo


Era o ano de 2003. Eu estava de namoro com o mestrado. Vou, não vou. Faço, não faço. Então, resolvi fazer aulas de ouvinte, em uma disciplina, Semiótica. Fui preparada para não entender nada... O professor, um engenheiro civil que tinha abandonado a sua profissão para ser professor, era o que gostava de fazer.
Começa a aula com essa frase: “Ninguém deveria morrer sem conhecer o Messier 104” Confesso a minha ignorância, não sabia quem era o nobre sujeito. Aí veio a aula inesquecível. Sem nenhum recurso audiovisual ele começou a descrever o Messier 104.
Se vocês utilizarem um binoculo ou pequeno telescópio, vocês poderão vê-lo no céu, em uma cidade sem muita luz. Para nós mortais ele vai aparecer como um ponto de luz, se confunde com uma estrela. O Messier 104 é uma galáxia, que se encontra na constelação de Virgem. Ele também é chamado de El Sobrero, por causa da sua forma. É a galáxia mais brilhante dentro de 32,5 milhoes de anos-luz da Via Láctea.
Depois daquela manhã eu sempre persigo, na internet, as fotos do Messier 104104. Penso também com admiração nestes antigos astrônomos, que sem ferramentas altamente sofisticadas descobriram galáxia, planetas, buracos negros, estrelas. Esta galáxia, por exemplo, foi descoberta 1781. Não tinha o telescópio Hubble. Sempre que olho para o céu procuro o tal ponto brilhante, completamente perdida só me volto para constelação de virgem é o máximo que consigo localizar. Porém, somos o cisco, do cisco, do cisco, do cisco... e complicamos tanto a nossa breve vida que em relação a grandiosidade do universo, não dura mais do que o tempo de uma virada de cabeça para esquerda ou para a direita.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

7 de janeiro dia do Leitor

Hoje é dia do leitor. E, nós independente dos livros somos leitores da vida, das relações humanas, da natureza. Recentemente desenvolvemos outra forma de leitura, a virtual. Quando ocorre a empatia, a aproximação, mesmo de longe aprendemos a ler o outro, a sentir... Descobrimos importâncias e desimportâncias. Descobrimos afetos, amor, amizade, admiração ou nos descobrimos tendo apenas a função de um acessório. Descobrimos, artimanhas, manobras, inveja, a maldade e a vaidade a toda prova. Em compensação descobrimos pares, e amizades que se materializam no real.Temos uma vida dois, igual a real, na tela do computador, e por isso dia a dia temos que desenvolver mais uma forma de leitura.
Amo esse texto do Mia Couto que fala sobre o leitor. No dia do leitor... Não Sabemos Ler o Mundo
Falamos em ler e pensamos apenas nos livros, nos textos escritos. O senso comum diz que lemos apenas palavras. Mas a ideia de leitura aplica-se a um vasto universo. Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sina…

Contém Maria

Estava indo tudo bem, até eu descobrir que as Marias ficariam encantadoras em caderninhos tipo Moleskine. Ganharam complementos, que extrapolam o tamanho do caderninho. Mas, esta é a intenção, ficar no espaço, ganhar asas e também deixar entrar o que chegar... Mas, e agora como guardar sem estragar, sem amassar? Simples, ganhou uma caixa. E assim, de simples em simples eu complico. Rsrsrs
Muito boa tarde!

Muito Bom DIa